QUAL A MELHOR AERONAVE PARA INSTRUÇÃO PRIMÁRIA

segunda-feira, 28 de maio de 2012

NOTÍCIAS - CONFIRMADA A FUSÃO ENTRE A AZUL E A TRIP



A companhia aérea Azul anunciou, na tarde desta segunda-feira, a associação com a Trip Linhas Aéreas. Acionistas da Azul devem ter 80% de participação na companhia, enquanto os ds Trip ficarão com 20%. O nome Azul deve permanecer mesmo com a fusão. 


Após a união, a Azul, que é a terceira maior empresa do setor no país, aumentará a participação dos voos domésticos para 15%. Em março, segundo dados da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), os voos domésticos da aérea somaram 9,8%. 



As marcas atuarão de forma independente até a aprovação do negócio pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e pela Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). Além das bandeiras, também os registros ficam separados. Somente após as autorizações dos dois órgãos, os executivos discutirão a possibilidade de atuar com marca única.
Não estao previstas demissões nem desativação de aeronaves. "Pelo contrário, queremos comprar mais aeronaves e contratar. Diferentemente da Europa e dos Estados Unidos, onde [as aéreas] precisam se fundir para não quebrar, aqui temos muito mercado a explorar – ainda mais com a classe C em aeroportos regionais", afirma Pedro Janot, presidente executivo da Azul.


TAM e Gol, primeiro e segundo lugares do setor no país, tiveram 38,2% e 34,4% de participação, respectivamente. 

A nova empresa soma uma frota de 112 aeronaves – 62 jatos Embraer e 50 turboélices ATR; opera mais de 837 voos diários – o equivalente 29% de todas as decolagens realizadas a cada dia no Brasil e 316 rotas, totalizando 96 cidades brasileiras servidas.



Veja nota da Azul na íntegra: 


David Neeleman, presidente do Conselho da Azul Linhas Aéreas Brasileiras, a terceira maior companhia aérea do Brasil, juntamente com Renan Chieppe e José Mário Caprioli, respectivamente presidente do Conselho e presidente-executivo da Trip Linhas Aéreas, uma força na aviação regional da América do Sul, anunciam hoje a assinatura de um acordo de investimento visando combinar as duas empresas. 

Com o acordo, foi criada uma nova holding controladora, a Azul Trip S.A., que terá como presidente do Conselho de Administração David Neeleman. Com o objetivo de coordenar a integração das duas aéreas, haverá na holding um comitê, presidido por José Mario Caprioli. 

Se aprovada, a associação confere musculatura para a terceira empresa da aviação brasileira se consolidar no mercado brasileiro, fazendo valer a sua reputação de companhia aérea que alia competitividade com o mais alto padrão de serviços do País. A nova empresa demonstra números expressivos: juntas, atendem 15% do mercado doméstico; somam uma frota de 112 aeronaves – 62 jatos Embraer e 50 turboélices ATR; operam mais de 837 voos diários – nada menos do que 29% de todas as decolagens realizadas a cada dia no Brasil e 316 rotas, totalizando 96 cidades brasileiras servidas. O grupo de colaboradores chega a 8.700 pessoas. Já ao final deste ano, a frota combinada deverá passar o impressionante número de 120 aeronaves.

“A Trip é uma empresa notável, que teve um crescimento vigoroso nos últimos anos até chegar à posição que ocupa como uma das maiores companhias regionais da América do Sul. Estamos muito felizes em ter no Conselho de Administração de nossa nova controladora, Azul Trip S.A, José Mario Caprioli, Renan Chieppe e Décio Chieppe. Azul e Trip têm em comum, além da frota de jatos Embraer e turboélices ATR, muitos outros pontos importantes, tais como os valores e o genuíno desejo de encantar os Clientes. Juntos, formaremos um grupo com possibilidades ainda maiores de continuar prestando serviços de transporte aéreo cada vez mais acessíveis e de alta qualidade”, afirma David Neeleman, fundador e presidente do Conselho da Azul. 

“Enxergamos na Azul uma parceira que tem os mesmos ideais e visão de negócios. Como nós, a Azul é uma empresa com foco em segurança, qualidade no atendimento, ótima imagem de marca e que vem crescendo de forma vigorosa e responsável nos últimos anos. Buscaremos disseminar as melhores práticas entre as empresas, visando ampliar nossa competitividade no mercado, mantendo o DNA de alto serviço de ambas”, explica José Mário Caprioli, presidente-executivo da Trip.

Tanto a Trip como a Azul, bem como suas respectivas divisões de carga, Trip Cargo e Azul Cargo, que igualmente vêm tendo um acelerado crescimento nos últimos meses, continuarão operando suas frotas, equipes e marcas de forma independente, até a aprovação da transação pelas autoridades que regulam o mercado e o setor aéreo no Brasil.