QUAL A MELHOR AERONAVE PARA INSTRUÇÃO PRIMÁRIA

terça-feira, 17 de março de 2009

Bem, pessoal, galera dos ares... rss Aceitei o convite do nosso amigo Cmte. Maciel e sou agora colaborador do nosso espaço sobre as novidades do mundo da aviação. Na minha "coluna" inaugural, destaco uma questão há tempos em discussão no âmbito aeronáutico em território potiguar, a instalação de um ILS no aeroporto de Natal.

Desde de 2007 ou antes eu ouço falar sobre a instalação de um ILS para a 16L de Natal (SBNT). Recentemente li a respeito no Blog do nosso amigo Thomas, o SBFZ ATC, por sinal, ótima fonte das notícias de aviação e onde sou ouvinte na excelente rádio-escuta disponível na página.Para minha surpresa, ontem à noite, "lincado" no ATC SBFZ, ouvindo a fonia do Centro Recife, um comandante questionou a entrega do equipamento para aproximação ILS para a uno meia esquerda. A propósito, o Blog já expôs a carta com o procedimento IFR, da data de 19 de março de 2009.

Mas foi hoje à tarde que realmente percebi que está bem próximo de o auxílio ser entregue. Uma aeronave do GEIV (Grupo Especial de Inspeção em Vôo) sobrevoou Natal por várias vezes, relatando informações referentes ao procedimento, constatado numa modesta escuta no velho e bom radinho do meu primo Samuel. No meu ponto de vista, SBNT estava mesmo precisando de um Sistema de Aproximação por Instrumento de precisão, uma vez que em condições de chuva muito forte e teto e visivilidade baixos, fato que não tem sido raro por aqui nos últimos anos, o Aeroporto Internacional Augusto Severo chega a fechar pra pousos, tendo seus vôos "presos" em órbitas por valorosos minutos ou alternados para o Guararapes, em Recife, que oporera ILS na pista 18. A operação da principal pista do nosso aeroporto com o ILS Cat I trará, sem dúvida, economia e conforto.

Sem mais por enquanto, até a próxima e excelentes vôos e sucesso para todos. Abraços

segunda-feira, 16 de março de 2009

NÓS EM RECIFE


Parceria firmada, muito trabalho e muita diversão... fazer o que gosta e gostar do que faz!

Abraço!!!

domingo, 15 de março de 2009

ANAC LIBERA VOOS REGULARES NO AEROPORTO SANTOS DUMONT, MAS GOVERNO DO RIO DISCORDA E PROMETE RETALIAÇÕES


A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) publicou no último dia 06, no "Diário Oficial da União", a Resolução nº 75, que revoga a Portaria nº 187/DGAC, de 8/3/2005, que restringia operações no aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro.
Segundo o órgão, no prazo máximo de 10 dias, contados a partir da data de publicação, serão definidos os critérios para a distribuição dos horários de voos para as empresas interessadas. "Somente após a definição desses critérios é que as empresas poderão enviar seus pedidos de voos", informa a Anac.
A Anac informou que convocará uma reunião com todas as companhias aéreas depois que a revogação da 187 for publicada no Diário Oficial, o que deve ocorrer até o fim desta semana. Na reunião, as empresas deverão apresentar seus pedidos para novas operações no Santos Dumont. A partir daí, a Anac definirá como distribuir os voos. O órgão garante que haverá " isonomia, transparência e não discriminação " .
A diretoria determinou que a distribuição obedeça a critérios de isonomia, transparência e não discriminação. Segundo a Anac, a medida visa evitar a concentração do mercado, o que prejudicaria os consumidores.
Critérios
A agência explica que a definição dos critérios será feita pela Superintendência de Serviços Aéreos da Anac em conjunto com a Comissão de Coordenação de Linhas Aéreas Regulares (Comclar).
Segundo o órgão, a comissão, que existe desde 1999 e se reúne semanalmente, é formada por técnicos das companhias aéreas, Aeronáutica, Empresa Brasileira de Infra-estrutura Aeroportuária (Infraero) e demais representantes do setor.
A agência lembra que a proposta de promover a melhor utilização do Santos Dumont foi colocada em consulta pública no dia 19 de novembro de 2008 e durante 30 dias qualquer cidadão pôde enviar suas contribuições sobre o tema. Em 22 de janeiro de 2009, a Anac realizou uma audiência pública no Rio de Janeiro.
A agência informa ainda que o estudo realizado com as razões técnicas para a revogação da portaria está disponível na internet, como exposição de motivos. As respostas da Anac às contribuições recebidas na consulta e audiência públicas também estão disponíveis na página da agência na internet.
"A diretoria colegiada, reunida na última terça-feira, decidiu por unanimidade revogar a portaria uma vez que, durante a consulta e a audiência públicas, não foram acrescentados fatos que levassem a uma orientação diferente daquela que determina a Lei da Anac (nº 11.182), no seu artigo 48, que assegura às empresas concessionárias de serviços aéreos domésticos a exploração de quaisquer linhas aéreas, mediante prévio registro na Anac, observada exclusivamente a capacidade operacional de cada aeroporto e as normas regulamentares de prestação de serviço adequado expedidas pela Anac."
Restrições
Desde março de 2005, por determinação do antigo DAC, o Aeroporto Santos Dumont operava com restrições, à exceção dos voos da ponte aérea Rio-São Paulo.
A revogação da portaria garante às empresas aéreas a liberdade de escolherem suas rotas, sujeitas apenas à interferência do órgão regulador quando existirem problemas de segurança ou capacidade operacional.
Para o Aeroporto Santos Dumont, o limite de sua capacidade operacional será de 23 movimentos (pouso ou decolagem) por hora. O órgão responsável pelo gerenciamento do espaço aéreo (CGNA, da Aeronáutica) definiu que o aeroporto comporta entre 23 e 33 movimentos por hora. "A Anac optou em escolher o limite inferior para evitar qualquer problema de congestionamento", explica o órgão.
O governo do Rio de Janeiro, procurado via assessoria de imprensa, não se pronunciou sobre o assunto. A TAM também se opunha à abertura do Santos Dumont, mas já disse que acatará a liberação e fará novos pedidos de voo.
A novata Azul, aérea que brigou e ganhou na Justiça o direito de voar no aeroporto, aproveitou a preocupação do governo federal com as quatro mil demissões na Embraer para criticar abertamente a oposição do governador do Rio, Sérgio Cabral. "Os aviões 190 da Embraer são perfeitos para aeroportos centrais como o Santos Dumont. E justamente num momento em que o presidente Lula tenta incentivar as vendas da Embraer para empresas brasileiras, o governador do Rio é totalmente contrário à abertura do aeroporto", disse Pedro Janot, presidente da Azul. Esta foi a primeira companhia brasileira a comprar aviões da Embraer. São 78 pedidos no total dos modelos 195 e 190 - este especialmente encomendado para operar no Santos Dumont. Segundo Janot, a Azul pedirá cinco voos diários entre o Santos Dumont e Viracopos, em Campinas (SP).
O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, não poupou críticas à decisão tomada pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) que retira o impedimento da operação de mais voos no aeroporto Santos Dumont. Atualmente, o terminal só opera vôos da ponte aérea Rio-São Paulo e operações de turboélices de até 50 assentos. “Isso parece um deboche com o governo do estado. Nós vamos entrar com medidas judiciais contra essa decisão. Isso não foi feito como deve ser. Vamos acabar com o subsídio do querosene de aviação. Se é para ter guerra, vamos ter guerra” atacou.
Segundo ele, hoje o governo cobra 4% de ICMS sobre o querosene de aviação consumido pelas empresas aéreas que operam no Rio de Janeiro. Agora, ele promete aumentar o imposto para até 18% das empresas que operarem no Santos Dumont.
O governador disse que já conversou com o ministro da Defesa, Nelson Jobim, sobre o tema e não conseguiu solução. Ele é contra a volta de operações regionais no Santos Dumont porque teme a redução do movimento do aeroporto Tom Jobim (Galeão) e que o estado quer privatizar.
Na avaliação de Cabral, se o Galeão perder movimento não haverá interesse da iniciativa privada. A tendência é que os passageiros nacionais prefiram pousar no Santos Dumont porque o terminal fica na região central do Rio de Janeiro.
“O Galeão, como eu digo sempre, é uma rodoviária, que estamos buscando fazer uma concessão. O Galeão é uma porcaria, que não tem papel higiênico, que o elevador não funciona, que a escada rolante não funciona. Isso atrapalha a concessão porque você divide volumes”, argumentou.
Sérgio Cabral, afirmou que planejava entrar na Justiça, além de aumentar a alíquota de ICMS sobre o querosene de aviação no Santos Dumont dos atuais 4% para 18%. Cabral também ameaçou não renovar a licença ambiental do aeroporto, vencida há um ano

O governador disse ainda que a Anac estava cedendo ao lobby da empresa Azul, que recentemente iniciou sua operação no Brasil e pretende usar o terminal para voar para o Rio de Janeiro. “Isso é lobby da Azul, daquele gringo que fala português assim enrolado [disse fazendo sotaque estrangeiro, em referência a David Neeleman, dono da Azul]”, afirmou.
A Azul vinha bringando na Justiça, com sucesso, pelo direito de operar no Santos Dumont. Na segunda-feira (1º), uma decisão do Tribunal Regional Federal da 1ª Região decidiu que a agência reguladora deveria ignorar a portaria que agora será revogada.
Dez companhias aéreas demonstraram interesse em operar voos nacionais de longa distância no Aeroporto Santos Dumont, informou nesta sexta-feira (13) a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).
De acordo com a agência, já foi definido o critério de sorteio entre as empresas interessadas para que todas possam ter condições iguais de operar no aeroporto e evitar concentração de mercado. TAM, Gol/Varig, WebJet, OceanAir, Azul, Trip, NHT, Pantanal, Passaredo e Air Minas foram as companhias que demonstraram interesse em horários de voos (hotrans, no jargão do setor).
A Anac informou por meio de comunicado que os pedidos de voos no Santos Dumont podem ser aprovados em 30 dias, a partir da data da manifestação do interesse. A Anac liberou o Santos Dumont para voos nacionais de longa distância no último dia 3. Foi quando a agência derrubou a portaria 187 do extinto Departamento de Aviação Civil (DAC), órgão que antecedeu a Anac. Essa norma limitava a operação do Santos Dumont a voos da ponte aérea, regionais e de táxi aéreo.

FONTE: PORTAL G1

APAGÃO EM PISTA DE AEROPORTO SUSPENDE VOOS EM SALVADOR

Uma pane no sistema de iluminação parou por cerca de três horas os pousos e decolagens na pista principal do Aeroporto Internacional de Salvador, na noite deste sábado (14). Centenas de passageiros, muitos que já haviam entrado na aeronave e foram orientados a retornar ao saguão, tiveram de aguardar por horas a permissão para a saída dos voos, enquanto a equipe de manutenção da Infraero trabalhava para identificar as causas do problema, que não chegou a afetar a pista auxiliar, onde apenas aviões pequenos podem transitar.
Passava das 19h, quando houve o apagão nas luzes dispostas ao longo da área destinada ao trânsito das aeronaves, que permitem aos pilotos identificar o local exato para realizar os pousos e decolagens em segurança. De acordo com a Infraero, sete voos foram prejudicados. Três deles foram redirecionados para os aeroportos de Aracaju e Recife. Outros três aguardaram condições para deixar a capital baiana e seguir viagem para Guarulhos (SP), Fortaleza e Brasília.. A iluminação na pista principal foi normalizada por volta das 22h. Em nota oficial, a Infraero informou que os problemas foram ocasionados por 'problemas técnicos em seu balizamento luminoso'.
FONTE: PORTAL G1

COLISÃO COM PÁSSAROS - ENVIADO POR DEDA

Se uma ave de apenas 2Kg se choca contra uma aeronave a apenas 300 km/h o impacto resultante é de 7 toneladas. Mais do que o suficiente para causar muito estrago em um avião. Agora imagine o que ocorre quando um avião comercial a jato, que pode chegar a 1000 km/h, se choca com um pelicano de 10kg.
Recentemente vimos na prática o que um pequeno ganso pode fazer com uma aeronave quando o vôo da US Airways pousou no rio Hudson em Nova York e aprendemos porque isto ocorre: as turbinas de aviões são movidas a querosene e não se alimentam de aves.
Na realidade carne dá uma severa congestão para o grande pássaro de metal, normalmente fazendo com que desça em trajetória totalmente descontrolada.
Infelizmente parece que alguns urubus, gansos, pelicanos, gaivotas entre outros animais empenados desligam seus transceivers e insistem em desobedecer as torres de controle voando na direção das aeronaves (ou seria o contrário?) e os resultados podem ser catastróficos.