QUAL A MELHOR AERONAVE PARA INSTRUÇÃO PRIMÁRIA

sexta-feira, 20 de julho de 2012

I CURSO DE EXECUTORES EM AVIAÇÃO AGRÍCOLA



SINDAG COMEMORA 21 ANOS


Sindag comemora 21 anos

O Sindicato Nacional das Empresas de Aviação Agrícola (Sindag) comemora 21 anos nesta quinta-feira (dia 19). Criado em 1991, em São Paulo (e hoje com sede em Porto Alegre), a entidade nasceu a partir da antiga Federação Nacional de Aviação Agrícola (Fenag), que desde 1980 reunia as associações estaduais do setor, estas criadas a partir de 1971. Mas, como não tinha características de representação sindical, não podia representar juridicamente os associados.
Hoje, o Sindag abrange cerca de 60% das empresas aeroagrícolas existentes no Brasil. E, como sindicato, tem a missão de representar, assistir e defender os interesses das empresas associadas e dos integrantes da categoria. Por conta disso, é membro efetivo do Conselho Consultivo da ANAC, Câmara Técnica Setorial da Indústria de Manutenção Aeronáutica, Câmara Técnica sobre Regulamentação da Aviação Geral, Comissão Especial para Assuntos da Aviação Agrícola no MAPA, Comitê Nacional de Prevenção de Acidentes Aeronáuticos do CENIPA, Comissão de Assuntos da Aviação Agrícola do CNPAA/CENIPA e Comitê Executivo Aeroagricola Privado do Mercosul (Brasil, Uruguai, Argentina e Chile).
CONQUISTAS
Entre as principais conquistas da entidade estão o novo Regulamento Brasileiro de Aviação Civil (RBAC) 137, publicado em abril. Cujo texto ainda deve ser melhorado, em tratativas com a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), mas significou avanços para o setor. Assim como a Instrução Suplementar 137.201-001, da ANAC, que autoriza o uso de etanol como combustível para aeronave agrícola na categoria restrita, equipada com motor convencional.
LUTAS
Por outro lado, seguem os embates para evitar que o setor aeroagrícola seja prejudicado por iniciativas às vezes de cunho apenas político. Como projetos de leis nas esferas federal e de Estados que visam a proibir a pulverização com aviões agrícolas. Propostas concebidas sem critérios técnicos e que podem ser desastrosas inclusive para o meio ambiente e para a economia brasileira.
E permanece na pauta do Sindag o esforço para revogação da Orientação Técnica CGA 01/2011, pela qual o MAPA repassou aos Estados a fiscalização sobre a atividade de aviação agrícola. Medida que causou sobreposição de ações com divergências de entendimentos dos agentes fiscalizadores (muitas vezes contrariando bases técnicas).
Assuntos que foram tema do último Congresso Sindag, realizado mês passado em Campo Grande/MS. Quando também se alinhavou a união de todo o setor, com parceria dos Sindicatos Nacionais dos Aeronautas (SNA) e dos Trabalhadores de empresa de Táxi Aéreo, Aeroclubes, Aviação Agrícola e de Garimpo (Sinaero) e da própria Divisão de Aviação Agrícola do MAPA.
Fato que ressaltou a importância também a união de todo o empresariado em torno de seu sindicato. E a adesão do maior número de associadas é fundamental para a valorização da Aviação Agrícola Brasileira.
FONTE: SINDAG

sábado, 7 de julho de 2012

VIDEO - PESCARIA DE FAIXA - PROPAGANDA AÉREA

8º SEMINÁRIO REGIONAL DE SEGURANÇA DE VOO



Estão abertas as inscrições até o dia 17 de setembro para o 8º Seminário de Segurança de Voo promovido pelo Quarto Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (SERIPA IV) em parceria com o Aeroclube de Rio Claro. O evento será realizado nos dias 23 e 24 de setembro, das 8 às 18h, na cidade de Rio Claro em São Paulo.
Os interessados em participar do seminário podem encaminhar suas inscrições para o e-mail: secretaria@aeroclubederioclaro.com.br. Para obter mais informações ligue pelos telefones (19)3524-2646 ou (19)3533-9099. São oferecidas cerca de 180 vagas e podem participar representantes da comunidade aeronáutica da região ou de qualquer outro ponto do Brasil.
A manutenção de aeronaves, estatísticas de acidentes na região do SERIPA IV, fatores contribuintes em acidentes aéreos e avaliação sobre o pós-acidente são os temas previstos para o debate no encontro. A intenção dos organizadores do seminário é reforçar os aspectos da prevenção visando reduzir os índices de acidente áreo no país.
FONTE: CENIPA

NOTÍCIAS - A-29 SUPER TUCANO CAI EM CAMPO GRANDE.


O piloto do caça A-29 Super Tucano, que morreu após queda da aeronave neste sábado (7) em Campo Grande, era oficial da Marinha, conforme nota oficial divulgada pela Força Aérea Brasileira (FAB). O capitão-tenente Bruno de Oliveira Rodrigues, 32 anos, era o único ocupante do avião.

Segundo a nota da FAB, Oliveira fazia o Curso de Líder de Esquadrilha da Aviação de Caça no Terceiro Esquadrão do Terceiro Grupo de Aviação da FAB, em Campo Grande, desde o início de 2011.
O comandante do Esquadrão de Comando da Base Aérea de Campo Grande (BACG), major Luciano Sivieri, disse ao G1 que o A-29 Super Tucano estava indo com outra aeronave do mesmo modelo para um operação de uso de armas na Base Aérea do Cachimbo, em Novo Progresso (PA). Os dois caças pertencem ao Esquadrão Flecha, que está sediado na capital de Mato Grosso do Sul.

Quando uma das aeronaves caiu, a outra voltou para a Base em Campo Grande. Informações preliminares da FAB indicam que o piloto teria tentado ejetar às 7h40 (horário de MS) antes da queda na área de pastagem.
O corpo dele foi localizado em outro local e foi resgatado por helicópteros da Aeronáutica. Com o impacto da queda, a aeronave ficou parcialmente enterrada, ficando apenas com a parte traseira visível.
Trabalhadores de uma indústria da região foram os primeiros que viram o acidente. De acordo com o Corpo de Bombeiros, a área do acidente foi isolada em um raio de 300 metros porque há risco de explosão, já que houve vazamento de combustível.
Conforme a nota da Força Aérea, “a Aeronáutica já iniciou as investigações para apurar os fatores que contribuíram para o acidente e está prestando todo apoio aos familiares”.
Confira na íntegra a nota oficial da FAB sobre a queda do avião em Campo Grande:
O Comando da Aeronáutica lamenta informar que neste sábado (7), por volta das 8h40, horário de Brasília, uma aeronave de caça da Força Aérea Brasileira (FAB), modelo A-29 Super Tucano, caiu a 10km do aeroporto de Campo Grande – MS.
O piloto e único ocupante da aeronave, Capitão-Tenente Bruno de Oliveira Rodrigues, de 32 anos, conseguiu se ejetar, porém faleceu no local.
O Capitão-Tenente Bruno Oliveira era Oficial da Marinha do Brasil e, desde o início do ano passado, realizava o Curso de Líder de Esquadrilha da Aviação de Caça no Terceiro Esquadrão do Terceiro Grupo de Aviação da FAB.
A Aeronáutica já iniciou as investigações para apurar os fatores que contribuíram para o acidente e está prestando todo apoio aos familiares.
Brasília, 07 de julho de 2012.
Brigadeiro do Ar Marcelo Kanitz Damasceno

Chefe do Centro de Comunicação Social da Aeronáutica

Fonte: PORTAL G1




domingo, 1 de julho de 2012

AVIÃO DE PEQUENO PORTE CAI NO INTERIOR DO PARANÁ

Um pequeno avião, aparentemente um mono motor de acordo com a Defesa Civil, caiu na noite de sábado (30) em um canavial de Nova Londrina, município da região noroeste do Paraná. Existem dúvidas em relação ao acidente porque apesar de a aeronave ter ficado completamente queimada, não foi encontrado nenhum passageiro. O veículo tinha capacidade para quatro pessoas.

O Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil realizaram buscas na região e também em hospitais, mas não identificaram o piloto ou algum possível passageiro.
Por determinação da sede de Curitiba da Aeronáutica, a área foi isolada e policiais se revezam para garantir que nada seja alterado até que uma perícia seja realizada. A expectativa é que isso ocorra ainda neste domingo (1º).
O fogo se espalhou pelo canavial e foi controlado. Não há casas próximo ao lugar onde a aeronave caiu.

FONTE: PORTAL G1