QUAL A MELHOR AERONAVE PARA INSTRUÇÃO PRIMÁRIA

sexta-feira, 15 de maio de 2009

DIA 4 DE JUNHO COMEÇA CAMPINAS-MARINGÁ PELA AZUL

A partir do dia 4 de junho, a Azul vai ligar Campinas a Maringá (PR) com quatro voos diários entre as duas cidades. As passagens já podem ser compradas no site da nova companhia aérea e os preços variam a partir de R$ 219 para o voo entre Campinas e Maringá (preço por trecho para viagens de ida e volta).
Os voos partem de Campinas às 6h35 e às 18h00 diariamente, e de Maringá os horários são 8h05 e 19h30. É possível também seguir de Maringá para qualquer uma das 11 outras cidades conectadas pela Azul. Rotas como Maringá - Rio de Janeiro (Santos Dumont), Maringá-Vitória, Maringá-Porto Alegre e Maringá- Navegantes, por exemplo ,estão com preços a partir de R$ 249. Estes preços são por trecho para viagens de ida e volta. Tarifas válidas para reservas feitas até 31 de maio e viagens realizadas de 4 de junho a 2 de julho.

GOL É A MARCA MAIS LEMBRADA PELO 3º ANO CONSECUTIVO

A GOL é a marca mais lembrada entre as companhias aéreas brasileiras, segundo pesquisa realizada pelo instituto Datafolha. A Companhia recebeu hoje o Prêmio Top of Mind Internet – organizado pelo instituto em parceria com o portal UOL –, que reconhece as marcas mais lembradas pelos consumidores da web, em 25 categorias.
A GOL recebeu 41% das citações entre os entrevistados de seis capitais brasileiras – São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Salvador e Brasília.
O Datafolha ouviu 2.048 pessoas, de 14 anos ou mais e que acessam a internet pelo menos três vezes por semana.“A GOL chegou ao mercado com um modelo de negócios revolucionário, usando a Internet como uma grande aliada para facilitar processos antes burocráticos, como a compra de passagens e o check-in. Hoje, receber esse prêmio pela terceira vez consecutiva é um grande reconhecimento pelo que conseguimos facilitar no acesso dos clientes à aviação”, afirma Tarcísio Gargioni, vice-presidente de Marketing e Serviços da GOL.
A GOL recebe o Prêmio Top of Mind Internet pelo terceiro ano consecutivo. De acordo com o Datafolha, a margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais para ais ou para menos, dentro de um nível de confiança de 95%.

AEROPORTO DE FEIRA DE SANTANA É FECHADO POR FALTA DE SEGURANÇA

O Aeroporto Governador João Durval Carneiro, em Feira de Santana (BA), foi fechado por falta de segurança e vai permanecer sem permissão para pousos e decolagens até novembro deste ano. A decisão foi tomada depois de uma inspeção da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), realizada em abril passado.

O laudo apresentado pela agência constatou que o sistema de rádio é falho, falta sinalização, não há radar e o asfalto da pista não está em boas condições. O aeroporto de Feira de Santana não tem voos regulares e atende principalmente a aeronaves particulares e de pequeno porte.

Segundo a Anac, o governo do estado, que administra o aeroporto, tem 60 dias para apresentar um plano de ações corretivas das falhas encontradas na vistoria. Se isso for feito, o terminal pode ser liberado para pousos e decolagens, enquanto as falhas são corrigidas. "Poderia ter um capinamento mais forte, mais intenso. Aumentar a vigilância e mais pessoas para tirar animais da pista", disse o piloto Bruno de Oliveira. O empresário Noé de Oliveira, que está construindo uma fábrica de aviões ao lado do aeroporto, lamentou o fechamento do terminal. "Prejuízo não só para mim, mas para Feira de Santana."
Fonte: PORTAL G1

quarta-feira, 6 de maio de 2009

TARIFA DE EMBARQUE - QUANTO VOCÊ PAGA E PORQUE?

Como vejo que muitas pessoas questionam sobre o valor da taxa de embarque e não entendem o porque de tal pagamento, resolvi pesquisar e encontrei no próprio site da Empresa Brasileira de Infra-estrutura Aerportuária - INFRAERO as respostas.
O conteúdo abaixo foi totalmente retirado do site da INFRAERO e pode ser conferido clicando no seguinte link
PORTAL INFRAERO.

A Infraero é remunerada, pelos serviços prestados, por meio de Tarifas Aeroportuárias criadas pela Lei nº 6.009, de 26/12/1973, e regulamentadas pelo Decreto nº 89.121, de 6/12/1983, conforme abaixo:
1) Tarifa aeroportuária paga pelo PASSAGEIRO:

· Tarifa de Embarque
É fixada em função da categoria do aeroporto e da natureza da viagem (doméstica ou internacional) e cobrada antes do embarque do passageiro. Remunera a prestação dos serviços e a utilização de instalações e facilidades existentes nos terminais de passageiros, com vistas ao embarque, desembarque, orientação, conforto e segurança dos usuários. A tarifa de embarque é cobrada ao passageiro por intermédio da companhia aérea. Trata-se de sistemática que atende ao princípio de facilitação, recomendado pela Organização de Aviação Civil Internacional (OACI), aceito pela Airports Council Internacional (ACI) e adotada pela maioria dos países membros dessas Organizações. Os valores da tarifa de embarque doméstica estão definidos na Portaria n° 905/DGAC, de 2/9/2005, e os da tarifa de embarque internacional na Portaria n° 955/DGAC, de 15/12/1997, obedecendo as categorias estabelecidas para os aeroportos, em função das facilidades disponíveis aos usuários.

Valores em vigor:

Ainda no site da INFRAERO você poderá encontrar todas as outras tarifas que são pagas pelos operadores das aeronaves, como por exemplo, as tarifas de pouso, de permanência, de uso das comunicações e dos auxílios a navegação aérea em rota, etc.

Fonte: INFRAERO

DICAS ANAC

A Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) - Órgão que regula a aviação civil no Brasil - disponibiliza na sua página da internet alguns manuais direcionados a profissionais da área aeronáutica bem como os consumidores dos serviços prestados pelas companhias aéreas.
Os materiais são bastante interessantes e bem explicativos em uma linguagem fácil de entender, até mesmo para os leigos no assunto.
Para acessar a página com todos os manuais basta clicar AQUI e lá vocês poderão encontrar os seguintes temas:
* Acessibilidade a Bordo;
* 10 Dicas Para Uma Viagem Tranquila;
* Guia do Passageiro;
* Identificação de Passageiros;
* Cancelamentos e Atrasos de Voo;
* Bagagem;
* Saúde a Bordo;
* Segurança - Práticas Para um Voo Seguro;
* O Piloto e o Helicoptéro - Efeitos de Uma Ergonomia Ainda em Desenvolvimento;
* Habilitação;
* Certificação de Produtos Aeronáuticos.

EMBRAER TENTA 'EMPLACAR' AVIÃO A ÁLCOOL ENTRE FAZENDEIROS NA AGRISHOW

A fabricante nacional de aviões Embraer tenta vender a tecnologia da aeronave movida a álcool entre os produtores rurais que visitam a feira de agronegócios Agrishow, em Ribeirão Preto, interior de São Paulo. O avião agrícola Ipanema já é bem utilizado nas fazendas do Brasil, principalmente para pulverização, segundo a própria Embraer. Ele existe há 40 anos e há mais de mil espalhados pelo país.
No entanto, a versão a etanol é recente, tem menos de quatro anos. São atualmente 70 aeronaves originais e 180 convertidas de gasolina para álcool."A reação dos produtores rurais (na Agrishow) é bem positiva e a nossa expectativa é bastante interessante, uma oportunidade de estarmos perto dos clientes e mostrar o produto", diz o gerente comercial da Embraer, Fábio Bertoldi Carretto. Carretto afirma que a empresa tenta, na feira, mostrar aos produtores a vantagem de um avião "ecologicamente correto". Além de menos poluente do que um movido a gasolina de aviação, a potência é 7% maior, segundo ele. "É possível carregar mais produtos e voar mais hectares com eficiência operacional mais elevada."
O Ipanema custa R$ 642 mil na versão a álcool e vem com GPS e ar condicionado. Ele é confeccionado sob encomenda.



A conversão de uma aeronave de gasolina para álcool custa R$ 69 mil. "A conversão tem custo baixo perto do benefício que se tem em relação ao custo operacional. O álcool é mais barato que a gasolina de aviação. Estudos mostram que o investimento se paga rápido", diz o gerente da Embraer.
Fonte: PORTAL G1

AGÊNCIA DE RISCO REBAIXA NOTAS DE CRÉDITO DE TAM E GOL

A agência de classificação de risco Fitch Ratings rebaixou as notas de crédito atribuídas à TAM e Gol, diante do maior nível de alavancagem das empresas e da perspectiva de que a queda na demanda, em conjunto com o aumento da capacidade, deve pressionar as margens das companhias.
O principal rating da TAM foi reduzido de "BB" para "BB-", enquanto a nota da Gol caiu de "BB" para "B+", com redução de dois degraus neste segundo caso. As duas notas tem perspectiva negativa.
No caso da Gol, a agência diz que "o rebaixamento reflete a contínua deterioração do perfil de crédito, decorrente de maiores níveis de alavancagem em relação ao anteriormente previsto".
A Fitch diz que a dívida da empresa somava R$ 7,9 bilhões ao final do ano passado, enquanto sua posição de caixa era de R$ 415 milhões. Em comparação, no encerramento de 2007, a dívida da empresa era de R$ 6,287 bilhões, para um caixa de R$ 1,293 bilhão.
Ao analisar o cenário de demanda para o setor, a Fitch se diz preocupada com a capacidade da empresa de financiar sua liquidez de curto prazo por meio de fluxo de caixa próprio, passando a ser mais dependente de "bancos e do mercado de capitais".

'Satisfatória'
Ao falar da TAM, a Fitch também vê "deterioração do perfil de crédito", por conta do aumento da alavancagem e maior uso da posição de caixa para financiar os negócios. A agência diz que a liquidez da TAM, que antes era "robusta", agora é "satisfatória".
Ao final do ano passado, a posição de caixa da TAM era de R$ 1,914 bilhão, ante uma dívida total de R$ 11,1 bilhões, sendo R$ 928 milhões de curto prazo.

No entanto, a Fitch prevê que a empresa terá um desembolso de R$ 700 milhões neste ano e de mais R$ 400 milhões no ano que vem para liquidar as posições de hedge de combustível. Essa estimativa considera que o barril do petróleo fique em US$ 55.

O G1 procurou as assessorias de imprensa da TAM e da Gol para ouvir as empresas sobre o assunto. As duas companhias informaram que não se pronunciarão sobre o tema.
Fonte: PORTAL G1